TI Bimodal – um caminho para a transformação digital

Hoje, seu time está preparado para enfrentar o desafio dos negócios digitais? E na empresa, como são abordadas as incertezas trazidas aos negócios pelas novas tecnologias e por mudanças de comportamento?

Lendo o livro Leading Digital – Turning Technology into Business Transformation, de George Westerman, Didier Bonnet e Andrew McAfee, onde são apresentados vários estágios das empresas na transformação digital (beginners, conservatives, fashionistas ou digital masters), você pode definir a posição da sua empresa e o caminho a percorrer.

As respostas a estas questões podem não ser tão claras e diretas ainda, mas a perspectiva da TI Bimodal pode ajudar nesse processo.

Segundo a definição da Gartner:

Bimodal é a prática de gestão de dois estilos distintos, mas coerentes de trabalho: Uma voltada para a previsibilidade; A outra para a exploração.

O modo 1 é otimizado para as áreas que são mais previsíveis e bem compreendidas. Ele se concentra em explorar o que é conhecido, enquanto renova o ambiente legado em um estado que é adequado para um mundo digital.

O modo 2 é exploratório, para resolver problemas novos em áreas de incerteza. Essas iniciativas geralmente começam com uma hipótese que é testada e adaptada durante um processo envolvendo pequenas iterações, adotando uma abordagem de produto mínimo viável (MVP). Ambos os modos são essenciais para criar valor substancial e conduzir mudanças organizacionais significativas, e nem são estáticos. Casar uma evolução mais previsível de produtos e tecnologias (Modo 1) com o novo e inovador (Modo 2) é a essência de uma capacidade bimodal empresarial. Ambas desempenham um papel essencial na transformação digital.

Muitas empresas pequenas e médias já nasceram utilizando processos ágeis e a velocidade do mercado não as assusta, mas as grandes companhias sentem maior dificuldade de adaptação e podem se beneficiar ao adotar o modelo bimodal.

E como funciona? Um dos times voltado à inovação, experimentação, aprendizado contínuo e agilidade, com proximidade das áreas de negócios, inicia com pequenos projetos e, gradativamente, mostra os benefícios para o negócio, enquanto a outra equipe, voltada à confiabilidade e custo, mantém o trabalho operacional. Nem sempre a divisão é tão distinta ou formalizada, as equipes podem trabalhar com focos diferenciados compartilhando alguns membros das suas equipes.

E como todos precisamos adquirir competências e recursos para nos manter ágeis o tempo todo, este conceito é temporário, um caminho na transformação digital.

Para entender melhor o conceito:

Dez coisas que você deveria saber sobre a TI Bimodal

A Ti Bimodal e a indústria de software

A caminho da TI Bimodal

Bi modal é um caminho e não o fim da jornada

Compartilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

CONTINUOUS TEST AUTOMATION - WHITE PAPER

Conheça uma abordagem ágil e escalável para seus projetos de automação de testes.

BAIXE O WHITE PAPER