Primeiros passos para a robotização de processos

A RPA (Robotic Process Automation, ou “Robotização de Processos”) vem ganhando bastante notoriedade nos últimos anos, e cada vez mais empresas percebem seu potencial.

De maneira resumida, a RPA é a utilização de robôs para executar tarefas. Escolhem-se tarefas repetitivas, que possam ser executadas com base em um script e que não envolvam decisões subjetivas.

Suas vantagens mais evidentes são a redução de falha humana; o aumento na velocidade de execução de processos; o aumento no ciclo de produtividade; e a “liberação” de profissionais para poderem se dedicar a tarefas mais complexas e de maior valor para o negócio.

Por onde começar?

Da mesma maneira que ocorre com a adoção de outros processos, é preciso que a organização esteja preparada para a RPA – do contrário, poderá haver incompatibilidades, além de não se obter os muitos benefícios trazidos por esse tipo de automação.

Em primeiro lugar, é importante que as equipes (principalmente as que serão diretamente impactadas pela RPA) tenham ao menos um entendimento básico sobre como funciona a robotização de processos.

Em seguida, vem a escolha de qual será o primeiro processo a ser automatizado. Ele deve ser relevante para o negócio, mas não crítico, de modo que haja menos riscos durante a implementação da RPA. Nesta fase, também cabe decidir se o processo inteiro será automatizado, ou se apenas uma parte.

Além dos aspectos que foram mencionados anteriormente, há outras questões importantes na escolha do processo a ser automatizado:

  • A tarefa escolhida é repetitiva?
  • A automação irá gerar economia de recursos e/ou ganho de produtividade?
  • As informações importantes para a execução das tarefas podem ser lidas pelo robô?
  • Existem empecilhos legais para o uso de um robô na execução das tarefas?
  • Os documentos envolvidos possuem qualidade adequada?
  • O processo não demanda decisões subjetivas para ser executado?

Em suma, é preciso ter em mente o potencial de automação do processo, a estrutura para a automação, e a governança do negócio.

Eis alguns exemplos de atividades que, de modo geral, podem ser automatizadas:

  • Cobrança de clientes
  • Checagem de bancos de dados
  • Processamento de pedidos
  • Atualização de perfis de clientes

Considerando as recomendações, quais processos do seu negócio podem ser automatizados por RPA?

Automação sob medida

Necessidades distintas demandam soluções distintas, e esse mesmo raciocínio se aplica à RPA. Existem soluções comerciais (como UiPath, Automation Anywhere e AutomationEdge) e também as open source. A escolha da mais vantajosa depende do negócio.

Todas, porém, têm algo em comum: é preciso ter expertise para realizar sua implementação, de modo a garantir os benefícios, respeitar as políticas da empresa e obter um ROI vantajoso.

A Prime Control trabalha com diversas soluções em automação e conta com uma equipe altamente capacitada e experiente para fornecer soluções sob medida para a sua empresa.

Conte conosco para ajudar o seu negócio a atingir um novo patamar de excelência na entrega de resultados para seus clientes. Clique aqui e agende uma conversa com um dos nossos especialistas!

eBook RPA
Robotic Process Automation

Você está pronto para a (r)evolução?

Uma nova onda de automatização está chegando. Os robôs em software assumirão boa parte das rotinas de finanças, marketing, RH, TI, logística e outras áreas. Dotados de inteligência artificial, os robôs podem tomar decisões considerando um grande volume de dados. Eles são mais baratos, rápidos e eficientes que qualquer humano.

RPA não é assunto de TI! Todo gestor precisa conhecer o RPA e iniciar sua implantação para ganhar eficiência e proteger sua competitividade. Preparamos um ebook sobre o RPA. Nele, você entenderá a definição e a aplicabilidade desta tecnologia. Redigido em linguagem acessível, qualquer gestor pode aproveitar este material.

Baixe agora mesmo