Transformação Digital no setor alimentício: desafios e oportunidades

A inovação tecnológica pode ser vista em empresas de diversos setores. E na indústria alimentícia não é diferente. Além de ganhar cada vez mais força e popularidade, a transformação digital passou a ser um elemento-chave para a sobrevivência das organizações do setor.

Essas mudanças foram impulsionadas pelos novos hábitos do consumidor e aumento da competitividade entre as empresas. Isso causou a modernização dos processos de gestão, e fez com que as empresas começassem a pensar em como melhorar a experiência do cliente. Com isso, a área de TI, que antes desempenhava um papel secundário no setor alimentício, passou a ser uma forte aliada.

Transformação digital na prática: quais são os desafios?

A transformação digital busca aprimorar a experiência do consumidor e economizar tempo dos clientes. Entre as tecnologias que colocam em prática essa transformação estão a Internet das Coisas (IoT), a Inteligência Artificial (AI) e o uso de softwares de gestão, entre outros.

Além de serem muito úteis atualmente, essas tecnologias e automações são cruciais para inserir a empresa e os consumidores na nova realidade. Veja como essas tecnologias podem ser aplicadas:Mas, mesmo com essas mudanças, ainda existem alguns desafios na indústria de alimentos que podem ser mais facilmente resolvidos com a adesão das empresas à transformação digital.

➡ Rastreabilidade e segurança alimentar

Esses são alguns dos pontos mais importantes para a indústria. A segurança alimentar e a rastreabilidade significam o acompanhamento do caminho pelo qual passa o produto, desde a matéria-prima até o consumidor. As novas tecnologias permitem, agora, o que antes não era possível: esse acompanhamento em tempo real. Isso facilita o fluxo de toda a cadeia produtiva, e garante a segurança desde o fornecedor até a prateleira dos supermercados. Com isso também é possível localizar lotes e antecipar riscos, controlando a produtividade, eficiência e segurança. 

As soluções digitais agora giram em torno da máxima interconexão, da coleta de uma enorme quantidade de dados, da sua interpretação profunda e inteligente (por meio do Big Data), e também da concepção de aplicações dedicadas às necessidades de cada empresa.

➡ Análises preditivas

A indústria alimentícia tem mudado de fábricas tradicionais para fábricas cada vez mais “inteligentes” e interconectadas, que coletam dados continuamente, o que traz um benefício incalculável para otimizar todas as fases da produção, mas também para operações de manutenção preditiva, para gerenciamento de emergências e para aumentar qualidade. Os sistemas ERPs, por exemplo, podem armazenar dados de IoT e enviar alertas da produção smartphones de gerentes quando o desempenho ou metas de qualidade caírem, para que possam tomar ação corretiva imediata.

Os gerentes de produção identificam as etapas do processo onde houve uma mudança no ritmo de produção. Com auxílio da análise de big data, eles podem planejar a programação para reaproveitar as linhas de produção para lotes de novos produtos com o equipamento no mais curto espaço de tempo.

Restaurantes e as novas ferramentas

É impossível falar de tecnologia e não falar de como ela impactou os restaurantes, ainda mais em tempos de pandemia do novo coronavírus. As vendas por delivery, por exemplo, registraram de janeiro a maio deste ano um aumento de 94,67%, segundo uma pesquisa realizada pela Mobills. 

Dessa forma, vemos que é possível utilizar a tecnologia associada à alimentação por meio de uma variedade de recursos, como por exemplo:

  • Pedidos via aplicativo
  • Totens de atendimento em lojas físicas
  • Cardápio online
  • SAC mais rápido e ágil: novas formas de comunicação com o cliente
  • Sites e redes sociais, que agora disponibilizam receitas
  • Eletrodomésticos inteligentes que facilitam o preparo de refeições.

Essas mudanças trouxeram facilidade para a vida dos consumidores, o que refletiu nos pequenos e médios estabelecimentos, que agora têm buscado se adequar à nova realidade por meio da transformação digital.

Transformação digital e processos operacionais

De nada adianta ter um processo bem formatado na ponta e não pensar na operação. Por isso, esse é um dos desafios citados acima. O sistema de gestão passou a ser uma das ferramentas essenciais para os negócios do setor alimentício.

Em um mercado cada vez mais competitivo, criar condições para implementar a inovação da melhor forma possível é essencial. O sistema de gestão fornece informações estratégicas para auxiliar na tomada de decisão correta. Com isso, os gestores perdem menos tempo com trabalhos repetitivos e concentram o esforço em importantes tomadas de decisão.

Veja em quais pontos um sistema de gestão pode influenciar:

  • Controle de estoque: um sistema pode auxiliar no controle de lotes, gestão de datas de validade e rastreabilidade dos produtos.
  • Gerenciamento de informações: uma ferramenta pode facilitar o controle de informações nutricionais e regras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), auxiliando na produção de etiquetas e rótulos.
  • Controle de tributos: atender a todos os requisitos pode ser ainda mais fácil por meio do controle feito por um sistema de gestão.
  • Integração: por meio da automação, é possível integrar desde o controle da matéria-prima até o que é vendido para o cliente final.
  • Maior agilidade nas vendas: com um bom controle e dados em mão, todo o seu negócio será mais ágil.

Impactos positivos

Os clientes estão cada vez mais empoderados e atualizados sobre as novidades do mercado. Eles pesquisam e reúnem informações sobre os produtos e restaurantes de forma fácil e rápida, ou seja, estão mais decididos sobre o que comprar. As escolhas estão a um clique. Isso faz com que o negócio que já tenha aderido à transformação digital saia na frente. A escolha pode ser feita de forma muito mais rápida.

Graças a tecnologias como big data e as redes sociais, as empresas têm cada vez mais capacidade de reunir informações valiosas sobre o perfil dos clientes. Assim, é mais fácil ter insights e estudar o mercado, assim como a preferência dos consumidores.

A transformação digital no setor alimentício é bastante positiva e pode trazer benefícios tanto para o empreendedor como para o cliente final. Mas, lembre-se que para isso, seu negócio deve estar preparado e assessorado por uma boa equipe de TI que possa colocar em prática tudo o que foi dito acima.

A Prime Control conta com diferentes soluções que atendem os requisitos para a transformação digital da sua empresa. Contamos com expertise na indústria de alimentos. Entre em contato conosco e conheça nosso portfólio!

Automação de Testes
O Guia do Gestor

Conforme os sistemas crescem, é impossível garantir qualidade sem o uso de uma boa camada de testes automatizados. Regras de negócios cada vez mais complexas, a necessidade de uso de grandes massas de dados, além das inúmeras plataformas onde as aplicações precisam ser executadas, obrigam as organizações a investirem na automação dos testes. Não há como escapar.

Este é um tema bastante extenso e complexo. É impossível resumi-lo em algumas poucas páginas. No entanto, procuramos selecionar alguns tópicos essenciais, sem os quais qualquer implantação estaria fadada ao fracasso. Esses são os fundamentos para qualquer gestor comprometido com seus projetos.

Baixe agora mesmo